Vovô Ahoh e Tanya (traduzido)

0
(0)

Em uma cidade distante, onde quase sempre era verão e flores de cerejeira floresceram, vivia, tentando se estender da aposentadoria à aposentadoria, um avô de cabelos grisalhos e insignificanteS Ahoh. Ele vivia sozinho e apenas um canário em uma gaiola velha o agradou de manhã com seus trilhões. Mas o avô não morreu de fome, e quando sua esposa morreu, seus vizinhos o alimentaram. Então um vai trazer um pote de sopa, depois o outro um caldeirão de pilaf. Todos o amavam e muitas vezes o visitavam mesmo assim. Às vezes, outro vizinho passava por aqui antes do trabalho e perguntava: Você precisa de alguma coisa, vovô Ahoh? E então, voltando do trabalho, ele vai olhar de novo por meia hora: – Você está bem, vovô Ahoh?

E vovô gostava de olhar para garotas jovens. Ele tinha um velho e fiel seis de vermelho, uma vez, cor. E a única renda, além da pensão, era do meu avô, um táxi particular. E então, quando nada quebrou, e eu não tive que mexer com ele no quintal. Vovô não viajava pela cidade em busca de passageiros, mas ele tinha um lugar favorito onde você sempre poderia encontrar alguém para levar onde. E este lugar foi chamado de Instituto Agrícola da cidade de N-ska, onde muitas dessas meninas estudaram. Ele estava parado perto da saída do instituto, junto com os mesmos taxistas, e esperou as aulas terminarem. E mesmo que seu carro tenha se destacado sem lucro entre outros – carros novos e bonitos, as meninas ficaram felizes em entrar em seus seis, ignorando outros taxistas. E tudo porque sabiam que a passagem do vovô é muito barata… Bem, eles o amavam por seu sorriso gentil e as velhas histórias que ele lhes contou enquanto os levava para o lugar. E vovô não precisava de muito, como olhar para as bochechas rosadas, olhos alegres e seios balançando sob a blusa uniforme das meninas. E ele também gostava de olhar para as pernas de estudantes do sexo feminino. Tão suave e elástico, nu ou coberto com meias ou meias. Vovô não gostava de meia-calça e muitas meninas sabiam disso e não se sentavam mais para ele de meia-calça. E vovô sabia o que as meninas estavam vestindo, graças a um espelho secreto fixado sob o porta-luvas e configurado para que o vovô pudesse ver as calcinhas de futuras leiteiras e pecuaristas. Muitas garotas sabiam para onde esse espelho era dirigido, mas não se importavam, porque amavam o vovô e sentavam-se com ele mesmo, às vezes, sem calcinhas! E então vovô os levou quase de graça. Ele só me pediu para dar-lhe outro beijo em sua bochecha enrugada.

Um dia ensolarado de verão, quando os pardais, chiando furiosamente, estavam nadando na poeira e as andorinhas estavam chiando, voando como um raio preto sobre o chão, o sino tocou da última lição e o primeiro a chegar ao avô era um jovem calouro, que o avô ainda não tinha visto. Ela rapidamente subiu no banco da frente e olhou em volta com perplexidade para as outras garotas olhando para ela indelicadamente, que não teve tempo de alcançar os cobiçados seis e agora eles terão que pagar mais aos taxistas gananciosos para chegar em casa.

Olá! Quanto você vai levar para Bryantsev? – a adorável garota perguntou modestamente, tirando uma bolsa antiga que parecia um sapo de sua mochila e abriu a boca para ele.

Olá, linda! – o rosto do avô enrugado em um sorriso bem-humorado, e na expectativa de uma nova vítima que entrou em sua rede. — Eu não vou aguentar muito – cem rublos!

Wow! E ontem eles arrancaram aqueles 300 rublos de mim, os bastardos! — ela jurou e, assustada, corou. E o avô, já o primeiro, taxiou para a estrada sob os olhares invejosos dos taxistas restantes e das meninas que não tinham tempo. Ele sempre saía primeiro, independentemente de estar longe da entrada do instituto ou não. E tudo porque ele era amado e respeitado!…. as meninas amavam, e os taxistas respeitavam… e invejado … porque eles sabiam: – este é o vovô Ahoh, ele tem o maior pau desta cidade!

A garota desta vez foi pega pelo avô modesto, não falante. Cabelos castanhos lisos são reunidos em duas caudas sobre orelhas limpas com brincos pequenos. Um pequeno nariz de botão com uma dispersão de sardas brilhantes, um peito puro do segundo tamanho, coberto com uma blusa branca com um sutiã rosa translúcido e pernas esbeltas e bronzeadas com calcinha rosa. Ele viu este último olhando para um espelho secreto, onde as coxas, achatadas do assento, foram refletidas, cobertas com uma saia uniforme, verde, dobrada acima dos joelhos.

E vovô começou suas histórias!… E ele era um bom contador de histórias, a menina riu e empatizou com suas histórias, principalmente engraçadas, às vezes íntimas, e às vezes, baixando a voz por alguma razão, o avô contou histórias, o que fez as narinas da menina incharem, e seus olhos brilharam de emoção e ela riu modestamente, modestamente cobrindo sua boca com a mão e corando.

Sim! Foi há muito tempo!!! … – avô lamentou- – E agora, quantos anos se passaram desde a última vez que vi peitos … – ele mentiu, fazendo uma cara lamentável. – Ehhh…

E a menina sentiu tanta pena de seu avô que ela, surpreendida com sua própria coragem, desabotoou sua blusa e espalhou-a:

Aqui, olhe para sua saúde!

Espere, filha! – disse o vovô Ahoh, taxiando atrás das garagens abandonadas. — E de repente as pessoas vão vê-lo…, e pelo menos… Vou olhar para a minha velhice, … talvez… pela última vez. – vovô respirou tragicamente, desligando o velho motor. E a garota sentiu tanta pena do querido avô que ela estava pronta para deixá-lo sentir seus peitos através de seu sutiã, se ao menos ele se sentisse melhor.

Que peitos fofos! Que encanto! Vovô estava balançando a cabeça,

É possível. .. Devo tocar esses pêssegos doces? ..

O que estou dizendo? Perdoe o velho tolo! – o avô estava "com medo" de suas próprias palavras e a menina sentiu tanta pena dele que ela disse:

É possível!… Você pode até… beijá-los! – a menina corou

Realmente? – os olhos do vovô floresceram de felicidade e a garota se sentiu bem por ter feito este homem tão fácil, porque ele contou histórias tão interessantes…

Vovô estendeu a mão e tocou seus seios, levantados pelo sutiã, como uma fruta sagrada! Que charme! – ele gentilmente a apertou com sua mão sobrecarregada- – Como macia e… elástico… Mmmm!!! – como um verdadeiro gourmet, ele observou, delicadamente removendo seu peito esquerdo do sutiã e, com um olhar apologético, com os olhos cobertos de rugas gentis, ele começou a puxar suavemente o mamilo jovem da menina e ela sentiu que endureceu sob seus dedos. Ela languidamente fechou os olhos e sentiu uma leve tontura – foi muito agradável. Vovô puxou uma alavanca com a outra mão e a própria garota não percebeu como o assento se inclinou para trás, e o mamilo estava na boca do vovô. Ele gentilmente e habilmente mordiscou e chupou- lo, forçando-o a voar para longe com o vento de verão e voar sobre os prados, sentindo algum tipo de leveza em todo o corpo.

Logo ela sentiu a mão em seu joelho nu ea maneira que ele lentamente levantou sua saia. Ela queria resistir, mas depois pensou. E para um idoso, que alegria- deixe-o acariciar sua perna! Ela estava feliz por usar calcinha nova hoje. A mão do vovô já estava quase entre as pernas, quando de repente, a menina sentiu que sua buceta estava abundantemente umedecido, e as pernas, contra sua vontade, ligeiramente se separaram…

É isso aí! Já chega! — disse ela baixinho, tentando descer dos fabulosos picos aos quais foi levantada pela língua experiente de seu avô e suas mãos.

Obrigado, neta, agradou o velho… ah! – de repente ele agarrou seu coração e caiu no banco com um movimento praticado.

O que há de errado, vovô?

Ah! A pressão… está caindo… " ele revirou os olhos teatralmente- "Você, com seus encantos, conseguiu levantar minha vagem longa e agora todo o sangue jorrou nele, e eu, você vê, sou tão insignificante, há tão pouco deste sangue em mim!…

O que eu devo fazer? Vovô! – o calouro ficou horrorizado.

Eu não sei… Não há pílulas!… – gemeu, "perdendo força", avô

Só há uma maneira: recuperar o sangue!

Ok, o que eu devo fazer? Como recuperá-lo? A garota entrou em pânico, procurando ajuda.

Eu… dever… terminar … – com cada palavra, cada vez mais suavemente, disse avô e deixou cair a cabeça impotente em seu peito.

Vovô, não morra! – ela começou febrilmente desabotoando seu jeans e de repente, antes de tirá-lo, ela sentiu algo enorme com a mão!… A buceta dela se molhou de novo quando ela tirou o pau dele.., não- Bolt…, não – DICK, continuando a crescer em sua mão. Seus dedos não podiam fechar e ainda havia cerca de dois centímetros entre o dedo médio e o polegar. Seus olhos se abriram quando ela olhou para esta jiboia em sua mão como se fosse uma vara sagrada.

Ooooooooooooooo! – isso é tudo o que ela poderia dizer, e sua mão, involuntariamente, estendeu a mão em sua calcinha. Ela temia e desejava! E o que era, ela tinha medo de admitir para si mesma. Era enorme e bonita, entrelaçada com veias escuras e latejante em sua mão, brilhando com uma cabeça pontiaguda ligeiramente menor em diâmetro do que o tronco em si, mas ainda um chapéu enorme olhando para ela. Ela mesma não notou como ela se inclinou sobre ela, direcionando este DICK em sua boca com a mão. Só quando ela sentiu com os lábios, ela estremeceu e olhou para seu avô mentindo "sem sentido".

A vida humana depende das minhas ações! — lembrou ela e, sem dúvida, abriu a boca para uma crise e começou a ressuscitar. A cabeça entrou ao meio e descansou contra os dentes, a língua interferiu. Ela cuspiu para recuperar o fôlego e, segurando um pau enorme com as duas mãos, pensou animadamente: – você está mentindo!… Você vai entrar!… e abrindo a boca ainda mais, ela colocou a cabeça com força. Ela, moendo sua carne macia contra os dentes, começou a se mover lentamente, enchendo toda a boca consigo mesma, e finalmente deslizou atrás dos dentes e alisou lá fora em pleno vigor. A garota foi apreendida com horror! Ela lembrou da triste experiência com uma lâmpada que pode ser inserida em sua boca, mas é impossível obtê-la, e balançou a cabeça, descansando contra a base desta enorme varinha. Vovô, com luxúria, assistiu tudo isso através de olhos meio fechados e silenciosamente riu, vendo como alegremente suas caudas acenavam no ar. Incapaz de resistir, ele a acariciou-a ao longo da despedida na parte de trás da cabeça da menina, dividida em duas partes por rabos de cavalo. Ela finalmente conseguiu pular da cabeça e olhou esperançosamente para seu avô.

Está se sentindo melhor?

Um pouco … – ele suspirou pesadamente – – Vá em frente! — e a menina lamentou que ela não era uma cobra que pudesse separar mandíbulas e engolir grandes presas, e isso era o que ela mais queria agora: plantar lentamente sua boca nesta torre, mas apenas a cabeça deslizou para dentro novamente e descansou contra sua garganta, impedindo a respiração, lágrimas de ressentimento fluíram de seus olhos que agora, por causa dela, uma boa pessoa poderia morrer e ela começou a chupar furiosamente, esfregando as palmas das mãos ao longo do tronco e balançando o rabo.

Aaaaa… avô gemeu, "vir à vida". – e a menina quase rugiu de ressentimento que ela não poderia ajudar este homem bonito.

Uma coisa permanece, preciso de alguém para inserir minha cápsula! – e ele teatralmente procurou alguém com os olhos fora das janelas do carro. Naturalmente, não havia ninguém lá. Os olhos da garota se iluminaram com esperança:

Me!!! Me!!! – disse ela com arrogância e, em um momento, se livrando de suas calcinhas, deitada no assento reclinado, abrindo as pernas e abrindo os lábios convidativamente

Oh, minha filha! Obrigado por sua gentileza! – de repente movendo-se rapidamente, e pairando sobre ela, disse vovô Ahoh.

Mas vai doer! — disse ele, parecendo Lênin nos Octobristas, com rugas ao redor dos olhos, e a garota, enquanto corria para a embrasure…:

Eu sei! Ela acenou com a determinação partidária,

Eu quero!… para te ajudar… – ela gaguejou um pouco e, com horror, viu como o DICK começou a se aproximar de sua buceta, pingando de suco.

AH! — ela sentiu o toque de algo duro e quente.

Oooooh! — alguma coisa tentou entrar nela.

Como você é firme! Não resista, deixe-me entrar no seu templo! Vovô sussurrou suavemente em seu ouvido e pressionou novamente…

Aaaaaaaa!

Aaaaaaa!!!!!a

AAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA Ela gritou no topo de sua voz, batendo as mãos com os punhos!

Muito bem! A cabeça entrou! – seu avô a elogiou.

que?… A cabeça? .. Sim, eu já pensei que todos… AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!AAAA Vovô continuou a inserir sua cápsula.

No parque mais próximo, é claro, eles ouviram seu grito de cortar o coração, mas não se preocuparam. Eles já se acostumaram, sabendo que este é o lugar do tio Ahoh e as meninas muitas vezes gritam de lá. Mas porque eles sabiam e respeitavam! Tudo vai ficar bem!

Você era virgem, ou eu já te rasgei? Vovô olhou para baixo, intrigado. A menina também olhou para baixo e viu que sua buceta estava esticada sobre um baú enorme que só metade entrou nela, embora ela já sentisse com o útero. Jogando a cabeça para trás, através de lágrimas, ela acenou com a cabeça: – Foi!…

Vovô era gentil e paciente, dando tempo à vagina virgem para esticar, e a garota para recuperar o fôlego e secar suas lágrimas. Ela olhou nos olhos dele com determinação, regozijando-se que graças a ela ele estava vivo e agora ele iria fodê-la de verdade! Ela sonhava com isso há muito tempo, mas não sabia que doria tanto. E eu não esperava ver um PAU tão grande! Finalmente, ele moveu os quadris para trás e a menina pensou que é provavelmente assim que as mulheres se sentem ao dar à luz: – como se algo muito grande tivesse deixado seu corpo. E imediatamente começou a se espremer de volta, enchendo-a com si mesma, com uma crise inaudível, empurrando as paredes para fora. Parecia que um pouco mais ea cabeça apareceria em sua boca, perfurando-a através.

Ahhh!!!!! – a garota gemeu…

ah!!! — ela sentiu que a cabeça estava contra o útero

Sim, garota, esse é o meu nome! – sorrindo com o sorriso de Lênin, disse o vovô Ahoh. Qual era o seu nome?

Tanya! — ela gemeu

Taanechka, então! Como você é superficial, Tanya!

E Tanya ficou muito ofendida por ter sonhado tanto com o Big One, e não conseguir acomodá-lo pela metade. E então ela se lembrou como ela enfiou todos os tipos de objetos em sua bunda. E uma vez que ela até enfiou um balão com desodorante – vovô Ahoh continuou a se mover lentamente nele, causando dor severa quando ele descansou sobre o útero. A vagina emislorou a cada movimento, mas aos poucos ela começou a desfrutar do enorme pistão deslizando dentro dela e só gemia de prazer: – Ah … Ah…!!! Mas a ideia de conseguir tudo, não deixou de lado sua mente, e ela decidiu:

Vamos entrar na bunda! – com medo que ela mesma disse, ela cobriu o rosto com as palmas das mãos.

Como você é gostosa… mas tímida, Tanya!

E muito corajoso! — acrescentou, virando-a de barriga para baixo e colocando sua mochila com lição de casa sob sua barriga. De algum lugar ele tirou uma garrafa de lubrificante, e, jogando a saia interferindo nas costas de Tanya, manchou sua bunda com graxa fria.

Que linda bunda você tem, Tanya!

Agora vovô Ahoh está distorcendo você, apenas seja paciente! — ele prometeu e ela suportou um dedo na bunda, depois dois. e apenas em três gemeu!

Que boa garota! – vovô estava dizendo. – Trouxe o velho de volta à vida. – ele lubrificou seu enorme parafuso abundantemente e colocá-lo na bunda. Tanya congelou de medo, esperando pela dor, mas vovô não a atormentava por muito tempo. Inclinando-se todo o corpo sobre Tanya, ele plantou metade de seu pistão nela, descansando a cabeça contra o segundo esfíncter dentro de Tanya, levando do reto mais para o resto do intestino. Pelo contrário, bem, você entende. Ele pressionou novamente e, superando a resistência deste esfíncter, finalmente deu um tapa nos ovos da buceta de Tanya, que estava encharcada e esfregada no vermelho…

Seu grito foi ouvido não só no parque, mas também em casas próximas, mas quando viram os seis vermelhos balançando constantemente pela janela, eles se acalmaram! Eles sempre gritam assim lá! Então está tudo bem. E tudo porque eles respeitam – é o vovô Ahoh – muitas garotas sonhariam em gritar assim agora. Eles sabiam que logo os gritos reverteriam sua polaridade. E assim é…

Tendo sobrevivido ao primeiro choque doloroso, Tanya veio para si mesma, incapaz de se mover, completamente empalado no cuspe de seu avô. A dor passou gradualmente e veio uma sensação de plenitude e… em geral, algum sentimento incomum. Vovô, respirando fortemente, começou a se mover nele, tirando sua metade varinha. (No pano de fundo deste membro enorme, a bunda de Tanechkin parecia minúscula.) E depois levando-o para Tanechka para um tapa. Tanya gritou no topo de seus pulmões com prazer e dor, esquecendo-se da timidez. Ela colocou a mão no estômago e sentiu com a palma da mão como debaixo do umbigo, a cabeça de um avô enorme estava cutucando sua mão por dentro e ela apertou-a todas as vezes, dando ao avô prazer adicional. Ela imaginou como ela se parecia em seus olhos agora: Um rabo de cavalo estava solto, cobrindo seu rosto com o cabelo, sua blusa uniforme não foi completamente removida, pendurada em seu cotovelo direito, expondo suas costas com um sutiã rosa que cruzou, uma saia verde, vincos, uniforme foi descaradamente levantada em suas costas, a bunda foi enrolada em direção a um pênis enorme entrando nela, pernas em meias brancas de malha apoiadas no assento para maior estabilidade. Havia calcinhas amassadas e rosas deitadas lá, simbolizando a inocência perdida. Tanya já havia engasgado duas vezes com gritos de orgasmo antes do vovô Ahoh acelerar, e então, pressionando-a firmemente com seu corpo para o assento, ele ejaculou poderosos fluxos de esperma nela, que Tanya sentiu sob seu umbigo com a palma da mão.

Aaaah-Ooohh! Tanya gemeu enquanto o vovô tirava seu parafuso ligeiramente caído e Tanya, como uma boneca da qual a vara foi retirada, espalhou-se como uma ameba no assento, descaradamente expondo sua bunda.

Obrigado, neta! Ajudou o velho a sobreviver! – e Tanya quebrou em um sorriso satisfeito, sentindo como coceira seus buracos esfregados.

Por favor!

Você vai devolver cem rublos? — disse ela, puxando a calcinha.

Você é prostituta? Ahoh ficou surpreso

Não! — ele quebrou firmemente, – Não só isso, a tarifa agora vai custar-lhe 200 rublos.. e aqui está a capa, você lava – você cobriu tudo com sangue.

E o que, é mais barato do que aqueles taxistas! ele olhou em seus olhos indignados. – ela queria ficar indignada, mas percebendo que provavelmente havia uma fila por tal riqueza, ela obedientemente concordou:

Bom! Vou levar o lavado amanhã!

Amanhã não é necessário… ele não terá tempo para curar ainda! Mas em uma semana – certo! – e os olhos de Nastya floresceram de alegria – em apenas uma semana ela verá novamente… Ele!!! … ELE!!! E então ela definitivamente vai sentir isso em si mesma! A buceta foi umedecido novamente, encharcando as calcinhas infelizes.

Em uma cidade muito, muito distante, onde quase sempre era verão e flores de cerejeira floresceram, vivia um avô grisalho e insignificante Ahah. Ele vivia sozinho e apenas um canário em uma gaiola velha o agradou de manhã com seus trilhões. Mas o avô não passou fome – seus vizinhos o alimentaram. Então um vai trazer um pote de sopa, depois o outro um caldeirão de pilaf. Ele era frequentemente visitado mesmo assim. Às vezes, outro vizinho passava por aqui antes do trabalho e perguntava: Você precisa de alguma coisa, vovô Ahah? E então, voltando do trabalho, ele vai olhar de novo por meia hora: – Você está bem, vovô Ahoh?…

Ps. O sino tocou da última lição e as meninas caíram da varanda. Quase a última saiu, com uma marcha estranha, Tanya e viu várias garotas saltarem para o cobiçado seis vermelho. O primeiro a alcançar uma hitrovanka, que pulou direto pelo canteiro de flores e entrou no carro, mostrando sua língua para os retardatários, que infelizmente se arrastou para outros carros. Sorte de alguém. Tanya invejava, vendo um velho, desbotado, carro vermelho ir embora. — Mas nada, só faltam seis dias! E a partir desse pensamento, uma queda transparente fluiu pelas pernas, e as mãos apertadas no pacote com a tampa do assento lavado. Pelo menos a TI vai acontecer em uma tampa lavada", Tanya se alegrou e mancando para a parada, contando suspeitamente os concorrentes…

Did you like it?

Click on a heart to rate it!

Average rating 0 / 5. Vote count: 0

No votes so far! Be the first to rate this post.

We're sorry you didn't like it!

Let us improve it!

Tell us how we can improve it?

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.